pexels-shrijana-shrestha-4122861.jpg

Povos não Alcançados

 

Quem são os Povos Não Alcançados? 

 

Povos não Alcançados (PNA) é o termo utilizado para se referir aos povos que são menos alcançados pelo evangelho de Cristo ao redor do mundo. Esse termo surge da discussão sobre como organizar o esforço missionário da igreja para cumprir a grande comissão.  

 

​Segundo o Dr. Ralph Winter, pioneiro nessa discussão, povos não alcançados são grupos de pessoas entre os quais não há nenhuma comunidade de cristãos nativos evangélicos com número e recursos adequados para evangelizar seu próprio povo sem dependência externa. Esse conceito foi revolucionário porque mudou o foco do esforço missionário, ao invés de alcançar países geopoliticamente estabelecidos como Brasil, China, Índia e etc, agora a atenção deveria ser voltada para os povos ou etnias. 

 

Para que a importância dessa definição fique clara e seja possível perceber a centralidade desse conceito na organização do trabalho missionário mundial, precisamos compreender 3 elementos fundamentais: qual é a importância bíblica desse conceito, o que são povos e o que significa ser não alcançado.  

 

A importância do conceito de Povos na Bíblia 

 

Evangelizar todos os povos da Terra é uma tarefa dada por Jesus à igreja. No texto da grande comissão em Mateus 28:18-20 "portanto ide, fazei discípulos de todas as nações" Jesus deixa claro que não se trata de um convite à evangelização, antes é uma ordem ou um mandato,"ide". Também fica claro a magnitude da tarefa, porque o termo “de todas as nações” no texto bíblico original vem da expressão panta ta ethne, que significa todos os povos, ou melhor, todas as etnias. 

 

Já naquela época, Jesus não pensava em países a partir de um conceito geopolítico. O alvo da ordem dada por ele foi direcionado a cada povo ou etnia da Terra, definidos por uma língua, cultura e religião. 

 

Em diversas passagens na bíblia, o conceito de povos e a missão dada por Jesus são afirmados, nos trazendo a convicção de que o plano salvífico de Deus inclui todos os povos da Terra. 

 

E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações (panta ta ethne), e então virá o fim” (Mateus 24:14) 

 

"Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na Terra o teu caminho, e entre todas as nações a tua salvação. Louvem-te a ti, ó Deus, os povos; louvem-te os povos todos. Alegrem-se e regozijem-se as nações, pois julgarás os povos com equidade, e governarás as nações sobre a terra. Louvem-te a ti, ó Deus, os povos; louvem-te os povos todos." (Salmos 67:1-5) 

 

Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; E clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro.” (Apocalipse 7:9-10) 

 

A imagem descrita por João em Apocalipse revela o resultado final do esforço missionário. Pessoas de todos os povos da Terra diante de Deus dando à Ele a adoração que só Ele é digno de receber. Uma multidão multifacetada e diversa, expressando seu amor a Deus através da sua cultura própria. Essa fotografia única nos mostra que missões são o alvo central daqueles que desejam ver o nosso Deus sendo adorado por todos. Um dia a missão passará, ou seja, ela será finalmente cumprida, mas a adoração a Deus é eterna. 

 

Mas, o que são exatamente Povos? 

 

Segundo o dicionário, povo é um conjunto de pessoas que falam a mesma língua, têm costumes e interesses semelhantes, histórias e tradições comuns, vivem em comunidade em um determinado território, nação ou sociedade. No Brasil, por exemplo, apesar de todos nós estarmos contidos em um determinado bloco geográfico e sermos todos brasileiros porque fazemos parte do mesmo país, possuímos 323 povos espalhados pelo nosso território. Cada povo possui sua língua, história e cultura. Ex: Tupinambá, Caiapó, Ciganos, Tamoio e etc. 

 

Como identificar um povo não alcançado? 

 

De acordo com Joshua Project, um povo não alcançado é uma etnia que possui menos de 2% de cristãos evangélicos ou menos de 5% de cristãos confessos de todas as tradições. Esses critérios foram criados para ajudar de forma estratégica o esforço missionário mundial. Apesar de não existir um consenso com relação a esse critério, nós da Etnos usamos o conceito do Joshua Project como um ponto de partida. A ideia central é que essas são as condições mínimas necessárias para que a presença cristã em um determinado povo possa resistir no longo prazo sem a dependência do esforço missionário estrangeiro.

Ainda segundo o Joshua Project, hoje no mundo foram contabilizados cerca de 17.000 povos. Desse total, 7406 povos são considerados não alcançados. Ou seja, são 7406 etnias que possuem poucos ou nenhum cristão evangélico, com pouca ou nenhuma história cristã.

Existem cerca de 3,23 bilhões de pessoas dentro desse grupo de 7406 povos. Isso significa que 41% da população global ainda não possui um movimento cristão capaz de sobreviver no longo prazo sem a presença missionária estrangeira. Dentro desses 41%, a maioria esmagadora nunca teve sequer a oportunidade de ouvir a proposta do evangelho em sua língua de forma contextualizada. 

 

Dentro desse grupo dos povos não alcançados, ainda existem os Povos Não Engajados (PNE) que são as etnias que não possuem nenhuma presença cristã. Ou seja, nenhuma igreja, nenhuma agência missionária, nenhuma pessoa ou grupo de pessoas que tenham assumido a responsabilidade de evangelizar esse povo. 

 

Barreiras Naturais 

 

O processo de evangelização em meio aos PNA, possui muitas barreiras intrínsecas. Esses povos possuem uma cosmovisão particular, ou seja, outra forma de entender o mundo a sua volta, outra língua, cultuam outros deuses, têm suas próprias práticas rituais e culturais. O missionário precisa ser capaz de transpor essas barreiras para propagar o evangelho em meio a esse povo. Ele não precisa modificar a cultura, como foi feito de forma errada por muitos anos. Antes, ele precisa identificar todas as oportunidades possíveis de redimir essa cultura para Cristo. Porque Cristo deseja ser adorado por todos os povos, e só é possível distinguir um povo do outro através de suas particularidades culturais. 

 

Além disso, muitos desses povos são pequenos, com cerca de 50, 100, 300 indivíduos que vivem em lugares de difícil acesso, no meio de florestas, em montanhas ou em meio a perseguição religiosa/política. 

 

Também existem os blocos de religiões do mundo mais difíceis de serem alcançados. Usamos a sigla THUMB para identificá-los. São eles: Tribais, Hindus, Un-religious (sem religião), Muçulmanos e Budistas. 

 

Outra barreira muito grande é o acesso a bíblia na lingua nativa. Muitos povos não possuem sequer trechos da bíblia traduzidos para sua própria língua e dentre esses povos alguns são ágrafos, não possuem língua escrita, só falada. Nesses casos os missionários precisam criar um alfabeto para aquela língua falada e só depois realizar a tradução das escrituras. 

 

O Esforço Missionário 

 

Menos de 10% da força missionária está em meio aos povos não alcançados. Isso significa que dos 100% dos missionários que estão no campo, 90% estão trabalhando em meio a povos que já foram alcançados pelo evangelho. 

 

Além disso, os recursos financeiros investidos pela igreja no trabalho em meio aos povos não alcançados são completamente insuficientes. Estima-se que 99% das ofertas coletadas na igreja no mundo são utilizados para a sua manutenção local. Somente 1% dos recursos são destinados para missões, e desse 1% apenas 0,05% são direcionados para o trabalho em meio aos povos não alcançados. 

 

Ou seja, existem pouquíssimos missionários atuando nos lugares onde Jesus ainda não é conhecido e os recursos financeiros também são muito limitados, dificultando o avanço dos projetos. 

 

E agora? 

 

Toda aquisição de conhecimento relevante deve nos conduzir a mudanças práticas na vida. Apenas depois de mais de 15 anos de conversão que os fundadores da Etnos tiveram acesso a essas informações, e diante do choque que esse conhecimento representa, decidiram abandonar suas carreiras profissionais pregressas e se engajar em Missões como missionários de campo. Se você se sente chamado por Deus para se tornar um(a) missionario(a) de campo, entre em contato conosco. Contudo, também entendemos que talvez você não tenha esse mesmo chamado específico, mas é inegável que toda a igreja de Cristo ao redor do mundo foi chamada para se envolver com essa causa que está no coração da nossa grande comissão. 

A Etnos oferece diversas formas de engajamento e temos certeza que em ao menos uma delas você pode se envolver. Clique no botão abaixo e junte-se a nós no processo de alcance de todos os povos do mundo.