top of page
Buscar
  • Foto do escritorPaola Florenciano

O que a Bíblia fala sobre Refugiados?

Atualizado: 2 de ago. de 2023


O mundo está em crise! Segundo a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), o número de pessoas forçadas a deixar seu lugar de origem por conta de guerras, conflitos ou perseguição já ultrapassam 89,3 milhões de pessoas em todo o mundo. Entre elas estão quase 27,1 milhões de refugiados, cerca da metade deles têm menos de 18 anos.


Muitas pessoas confundem Refugiados com Imigrantes ilegais. Refugiados são pessoas que fugiram da guerra e/ou da perseguição e por isso cruzaram uma fronteira internacional. Imigrantes são pessoas que se deslocaram por razões que não se encaixam na definição legal de refugiado, geralmente se deslocando por interesses econômicos ou particulares.


Essa crise tem resultado em uma mudança global na composição da população de diferentes países. Austrália, Estados Unidos, alguns países da Europa e o próprio Brasil veem a sua composição populacional ficar cada vez mais diversificada com pessoas de outras etnias morando nesses países e tendo seus filhos com outra nacionalidade, quando esse direito é dado!


Por isso, muitas dúvidas ficam sobre as mentes e corações sobre como nós cristãos devemos proceder com casos de refugiados. Existe uma dimensão da crise humanitária e sobre ela não conseguimos calçar uma só base, mas existe uma dimensão bíblica, e sobre essa dimensão não há questionamentos. O que então a bíblia fala a respeito dos refugiados?


Em muitas traduções bíblicas o refugiado é retratado como : estrangeiro, peregrinos ou estranhos. Essas palavras aparecem mais de 100 vezes espalhadas por toda a bíblia. Só em Deuteronômio Deus ordena que o povo de Israel :

  • Dt 10.19 - Ame o estrangeiro

  • Dt 16.11 - Convide o estrangeiro para as festas santas e feriados, ou seja, inclua o estrangeiro nos momentos de pura alegria e de descanso.

  • Dt 14.29 - Use os dízimos para abençoar os estrangeiros

  • Dt 24.19 - Cuide das necessidades físicas dos estrangeiros

  • Dt 31.12 - Se junte ao estrangeiro para ouvir a palavra de Deus

E por que Deus deu essas ordenanças ao povo de Israel?


  • Dt 10.19 - Porque os Israelitas também foram estrangeiros no Egito.

  • Dt 24.18 - Porque os Israelitas foram escravos e o Senhor os libertou.

  • Dt 31.12 - Para que outros tenham acesso a Deus.

Muitas histórias na bíblia, retratam o coração de Deus para com os estrangeiros dessa terra. A história de Rute é uma dessas histórias impactantes sobre acolhimento e novo direcionamento. Rute era uma estrangeira vinda de Moabe, uma outra nação, que se casou com um Judeu que morreu. Rute, sua cunhada e a mãe de seu marido chamada Noemi, se viram sozinhas e desamparadas. Pela cultura da época, Rute e sua cunhada deveriam se juntar novamente a sua família e seu povo de origem para que pudessem retomar suas vidas casando novamente. Sua cunhada se despediu de Noemi e retornou para seu povo, contudo Rute não a deixou. Apesar de Noemi encorajar sua volta para sua família, Rute disse:


Não insista para que eu a deixe nem me obrigue a não segui-la! Porque aonde quer que você for, irei eu; e onde quer que pousar, ali pousarei eu. O seu povo é o meu povo, e o seu Deus é o meu Deus. (Rute 1.16)

Rute decidiu seguir as crenças de outro povo, decidiu ter Deus como Senhor da sua vida. Este pode ser o resultado ao seguir o coração de Deus em relação ao estrangeiro, ao refugiado. Imagina o impacto que os cristãos ao redor do mundo causariam ao receber os estrangeiros com muito acolhimento, com amor, cuidando de suas necessidades, lutando por justiça e apresentando Deus para eles! Nós poderíamos ver um grande movimento missionário acontecendo em nossos países com uma massa de refugiados dizendo: "O seu povo é o meu povo, e o seu Deus é o meu Deus".


A preocupação de Deus com o estrangeiro não parou no Antigo Testamento. No novo testamento Jesus demonstra de inúmeras formas seu coração em direção ao estrangeiro. Jesus resumiu os mandamentos em dois maiores: Amar a Deus sobre todas as coisas e Amar ao seu próximo como a si mesmo. O próximo aqui, não é uma pessoa esperada ou conhecida. Jesus explica que o próximo é um samaritano, uma pessoa de outro lugar, estrangeiro, peregrino em uma estrada, aquele que você naturalmente evitaria. Jesus demonstrou isso, curando gentios como quando conversou com a mulher samaritana no poço ou quando curou um guarda de um centurião romano e reconheceu sua fé.


Em Atos 2, as primeiras pessoas a ouvirem as maravilhas sobre Deus em sua própria língua foram estrangeiros que estavam em Jerusalém.


Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Asia, e Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. (Atos 2.8-11)

Eram pessoas de todas as nações vivendo no meio dos Judeus! Em Atos 17.26,27 Paulo afirma que Deus"de um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação; para buscarem a Deus se, porventura, tateando, o possam achar, bem que não está longe de cada um de nós; "


Por isso o movimento de pessoas estrangeiras, refugiadas não é algo para sentir medo, ou para ser negado. O movimento de pessoas estrangeiras pode ser Deus trazendo as nações até nós, até aqueles que deveriam ir atrás delas. Essa pode ser vista como uma oportunidade que Deus nos dá de se juntar a Grande Comissão.


Missões por muitos anos se focou em um missionário sair de seu país de origem para uma nação estrangeira. Nesses dias vemos o movimento contrário, nações estrangeiras vem até nós. Nossa tarefa continua sendo a mesma. Alcançar a todas as etnias para Jesus, contudo uma das faces da missão pode ser acolher o estrangeiro amando-o e apresentando Jesus Cristo para que Seu nome seja glorificado em todas as línguas, tribos, raças e nações.


Também não se esqueça que de acordo com Efésios 2, todos nós éramos estrangeiros, mas por meio de Jesus fomos feitos cidadãos dos céus.


Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito. Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus; (Efésios 2.18,19)

Por isso ore pelos refugiados, invista em projetos com refugiados, vá aos refugiados, acolha os refugiados! Deus espera um envolvimento seu!


Nós da Etnos, temos dois projetos em andamento com refugiados: comunidade de refugiados paquistaneses em Bangkok na Tailândia e o Povo Rohingya que compõe o maior campo de refugiados do mundo. Invista conosco acolhendo as famílias e estabelecendo um movimento missionário através de obreiros nativos dentro de cada comunidade e etnia.



Obs: Texto retirado e adaptado do vídeo God's Heart for the Foreigner, do Global Frontier Missions.

Fontes: UNCHR e ACNUR Brasil












62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page